War of The Spider Queen organizada por R. A. Salvatore

Publicado: 06/10/2012 em Livros, Resenhas
Tags:

Sabe aquelas sagas da Marvel que falam que vão mudar tudo na história de um personagem e no fim num mudam nada e todo mundo esquece depois de um tempo? No estilo daquelas mortais sensacionais de gente que volta algumas edições depois, sabe? Então… Esse complexo Marvel tem atingido com freqüência a Wizards, ou melhor, o R. A. Salvatore. Já cansei de falar aqui que li quase todos os livros dele e já cansei de dizer o mesmo: tudo o que ele tem tocado nos últimos anos tem sido expressão do complexo da saga inútil. War of the Spider Queen é um exemplo disso. Felizmente ele só criou o enredo e não escreveu os livros.

Saga foi planejada pelo Salvatore, mas escrita por diversos autores. A premissa é o desaparecimento de Lolth, a Rainha Aranha, deusa caótica dos elfos negros. Sem ela, suas sacerdotisas, as pessoas que realmente detêm o poder entre os drow, ficam sem magias e a sociedade matriarcal ameaça desmoronar. Partem em missão para encontrar Lotl alguns personagens principais, entre eles o mago Pharaun, o guerreiro Ryld, o sacerdotisa Quenthel, o ranger Valas Hune e o meio-drow, meio demônio Jeggred. Halisstra Merlarn de Ched Nasad e Danifae se juntam ao grupo depois.

Os seis livros variam do normal ao muito bem escrito com algumas partes extremamente chatas em alguns, mas excelentes como no quarto e no quinto volume e ainda alguns acréscimos bons no segundo e no primeiro. O sexto se inicia muito bem, mas depois se perde na síndrome da saga inútil com uma certeza que gera uma preguiça incomum de ler.

War of the Spider seria totalmente dispensável se não fosse um guia interessante para os planos e para o Underdark, além de personagens excelentes como Pharaun. O restante é simplório. A trama do desaparecimento de Lolth não se sustenta, afinal todo mundo sabe que ela não vai sumir e nada vai mudar no fim das contas. Os personagens fundamentais de Mezonberranzan, a principal cidade drow, vão continuar e pronto. Os drow continuarão da mesma maneira. Então, se você pretende ler querendo uma saga com uma reviravolta e ter surpresas, esqueça. Leia para saber sobre os drow e atente-se ao esforço dos autores para escreverem um bom livro apesar da trama pífia do Salvatore.

E está aí mais um motivo para eu não gostar desse autor. Ele tem se esforçado para destruir todos os personagens que criou e me fizeram fã dele até uns 3 ou 4 anos atrás. E é um esforço árduo. Desde The Promise of the Witch King eu não curto mais o Artemis Entreri, um dos personagens que eu mais adorava em Forgotten Realms. E felizmente ele já havia matado o Zaknafein há muito tempo, pois eu gostava ainda mais dele do que do Artemis. Agora eu agradeço aos autores dos livros, que, apesar de um livro ruim ou outro, ajudam a salvar essa saga e a salvar os drow das mãos do Salvatore. E eu me pergunto aqui, o que fez esse autor mudar tanto? Ou ele era assim e eu não havia notado.

Nota: Aqui no Brasil, só a trilogia do Vale do Vento Gélido é mais conhecida por causa da tradução da Devir. Acreditem, no entanto, a Dark Elf trilogy é muito melhor, assim como os livros depois do Vento Gélido, principalmente Silent Blade e Servant of the Shard. Sige of Darkness também é legal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s