Resenha: Duro de Matar 5, Um bom dia para morrer

Publicado: 16/03/2013 em Filmes, Resenhas

ImagemDuro de Matar 5… Nem é preciso explicar muito sobre a série em que John McClane enfrenta terroristas e ameaças de todo tipo, sendo explodido, atirado de um lado para o outro e levando balas. A novidade aqui é que além das balas, atropelamentos e explosões, ocorre um pouco de radioatividade. Nada demais.

Esse quinto filme da franquia se passa na Rússia. McClane descobre que seu filho foi preso após um atentando misterioso que está, de alguma forma, envolvido com a prisão de um bilionário russo e sua disputa com um dos políticos importantes daquele país. Como um pai protetor de uma família conturbada, ele viaja para outro continente para tentar resolver a situação. As coisas pioram e aí começam os tiros, atropelamentos, carros voando e coisas semelhantes, sem surpresa.

Esse é, de fato, um dos piores filmes da série. Não que haja coisa boa depois do segundo, mas parece que Um bom dia para morrer foi feito apenas para arrecadar dinheiro com o nome da franquia sem que nem ao menos o roteiro fosse trabalhado ou que avisassem a Bruce Willis que ele deveria ao menos demonstrar um mínimo de esforço na interpretação de seu personagem.

Para quem tem tempo na vida, pode até ver para se divertir com explosões, mas meu tempo tem ficado cada vez mais escasso, então, para mim, essa não foi, definitivamente, a melhor escolha para uma sessão de cinema.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s