Resenha: As Sessões

Publicado: 25/05/2013 em Filmes, Resenhas

As SessõesMark O’Brien é um poeta que teve a infelicidade de sofrer de pólio e ser obrigado a viver com um pulmão de ferro pelo restante de sua vida. Carismático, mas atormentado com uma série de fatos de sua vida e preocupações religiosas, ele decide que é o momento de perder a virgindade após uma proposta de casamento desastrosa. Em suas conversas com o padre, consegue forças para seguir em frente. As sessões assim começam com uma profissional dedicada.

As Sessões é um filme interessante sobre um homem feliz e que gera felicidade a despeito das dificuldades que a vida lhe gerou. Os momentos da vida de Mark e como ele toca as pessoas que o cercam são cativantes em cada ponto, mostrando o alívio e o peso que ele gera em quem não sofre nem metade das dificuldades dele. Atores como Helen Hunt e William Macy cumprem bem seus papéis em cada momento, mas nenhum segue a mesma linha ou precisa ter o mesmo empenho que John Hawkes que consegue ser carismático mesmo com as limitações que seu papel impõem.

O filme é divertido e passa rápido sem se envergar em um dramalhão ou em piadas idiotas. Aproveita cada diálogo com cuidado e coloca as situações para manter o telespectador cativado pela história.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s