Criatura – Boitatá

Publicado: 15/08/2013 em Criaturas, RPG, Trevas e Arkanun
Tags:

boitatá

As matas brasileiras possuem relatos de perigos um pouco diferentes da Europa. Quando os primeiros pesquisadores do sobrenatural chegaram ao Brasil colônia e adentraram o território procurando as lendas de El Dorado e as forças mágicas vastas das matas e do cerrado, começaram a entender que o Brasil não precisava de dragões, elfos ou grifos para ser uma ameaça mesmo para magos poderosos.

Um dos seres mais amedrontadores do folclore brasileiro é o Boitatá. Muitas vezes mostrado como história para criança entre os mundanos, qualquer ser sobrenatural que tenha explorado as matas com mais afinco sabe que o monstro deve ser temido. Anjos são devorados, magos queimados vivos e demônios destroçados. O Boitatá é tão terrível quanto um dragão, tão feroz quanto um grifo e com imunidades que fazem os maiores guerreiros entenderem que não estão diante de uma história para crianças.

Aparência: O boitatá é uma serpente gigantesca com escamas em chamas. Geralmente de tom avermelhado, faz cada escamas explodir em labaredas mortíferas quando entra em combate. A boca guarda dentes perigosos, com uma mandíbula capaz de destroçar armaduras e presas que despejam um veneno flamejante que queima sangue, carne e alma.

Os Boitatás mais jovens medem cerca de cinco metros, mas aumentam de tamanho progressivamente. Um jovem adulto pode chegar a doze metros, um adulto a quinze e os mais antigos a vinte metros de comprimento com facilidade. São criaturas pesadas, mas com um bote extremamente ágil.

Ecologia: O Boitatá é uma criatura dominada por instintos. Ele vive para se reproduzir e proteger a mata onde estabeleceu residência. Dali sai raramente, apenas com a intenção de se reproduzir ou, quando jovem, precisa encontrar outro território. Um Boitatá vive eternamente, pelo que se conhece até o momento.

O Boitatá tem uma afinidade especial por olhos. Ele devora os olhos de todos o inimigos tombados e também de qualquer outro animal que encontre pela floresta. Dentro dele, cada olho torna-se uma pequena esfera de chamas, muitas vezes vista através da pele quando a criatura incendeia-se.

Essa criatura não parece ser natural da Terra, sendo facilmente encontrada em certos reinos de Arcádia e havendo registros até mesmo em Ark-a-nun. É dito que, de algum modo, alguma divindade ou mago foi responsável por distribuir esse ser pelos planos, havendo registros do Boitatá no Brasil há pelo menos cinco mil anos. Desconhece-se de onde os Boitatá podem ser originários. A hipótese corrente é de que foram trazidos de Ark-a-nun e que lá mudaram de alguma forma para protegerem o ambiente das agressões. As forças mágicas os transformaram no que são hoje.

Ao contrário de muitas espécies de dragões, os Boitatá geralmente apresentam inteligência quase animal. Pouco relatos falam de Serpentes de Fogo inteligentes ou capazes de se comunicar de um modo que não seja a violência. Em pelo menos um caso, já foi citado o evento de um desses seres mudar para a forma humana para lidar com viajantes que passaram por seu território, mas nunca se soube se se tratava de um Boitatá ou de um mago poderoso com alto domínio dos Caminhos Animal e Fogo.

Estatísticas de Jogo

Características Especiais Gerais: Todo Boitatá enxerga perfeitamente em quaisquer condições de escuridão. Anoite não é inimiga dessas criaturas e sua visão atravessa quaisquer trevas. Isso também é sua fraqueza, pois suas habilidades visuais (mas não as olfativas ou auditivas) recebem um redutor de 20% durante o dia.

Jovem

10 a 50 anos

Atributos:

Força 20,  Destreza 15, Agilidade 22, Constituição 20, Inteligência 5, Carisma 5, Percepção 14, Força de Vontade 16

Pontos de Vida: 45         Índice de Proteção: 3    Imunidades: Fogo

Ataques: Mordida 3D + 3

Cauda 3D +3

Perícias: Ataques (Mordida 60%, Cauda 50%), Camuflagem 40%, Escutar 50%, Esquiva 40%, Furtividade 40%, Sobrevivência 40%, Rastreio 50%

Ataques Especiais:

Hálito de Fogo – o Boitatá pode emitir um hálito de fogo em forma de cone a até 6 metros de distância causando 5D de dano de fogo. Pode ser usado a cada 1d6 rodadas.

Veneno Flamejante – O Boitatá pode inocular o veneno flamejante em seus alvos, causando 5D de dano. As chamas consomem internamente, o que implica na perda de 1d6 Pontos de Magia e redutor de -5% nas ações por 2d6 rodadas. Pode ser usado a cada 2d6 rodadas.

Escamas de fogo – O Boitatá causa dano por contato devido às chamas de suas escamas. Esse poder pode ser ativado sempre que a criatura desejar, incendiando qualquer coisa que a ameace sem causar danos ao meio ambiente. Qualquer um que toque o Boitatá ou o ataque corpo a corpo recebe dano de 1D.

 

Jovem Adulto

51 a 150 anos

Atributos:

Força 28,  Destreza 18, Agilidade 22, Constituição 28, Inteligência 6, Carisma 5, Percepção 18, Força de Vontade 22

Pontos de Vida: 75         Índice de Proteção: 4    Imunidades: Fogo

Ataques: Mordida 5D + 7

Cauda 6D +7

Perícias: Ataques (Mordida 70%, Cauda 70%), Camuflagem 40%, Escutar 55%, Esquiva 50%, Furtividade 50%, Sobrevivência 60%, Rastreio 60%

Ataques Especiais:

Hálito de Fogo – o Boitatá pode emitir um hálito de fogo em forma de cone a até 10 metros de distância causando 6D de dano de fogo. Pode ser usado a cada 1d6 rodadas.

Veneno Flamejante – O Boitatá pode inocular o veneno flamejante em seus alvos, causando 7D de dano. As chamas consomem internamente, o que implica na perda de 1d6 Pontos de Magia e redutor de -10% nas ações por 2d6 rodadas. Pode ser usado a cada 2d6 rodadas.

Escamas de fogo – O Boitatá causa dano por contato devido às chamas de suas escamas. Esse poder pode ser ativado sempre que a criatura desejar, incendiando qualquer coisa que a ameace sem causar danos ao meio ambiente. Qualquer um que toque o Boitatá ou o ataque corpo a corpo recebe dano de 2D.

 

Adulto

151 a 500 anos

Atributos:

Força 40,  Destreza 20, Agilidade 24, Constituição 35, Inteligência 7, Carisma 5, Percepção 23, Força de Vontade 25

Pontos de Vida: 95         Índice de Proteção: 6    Imunidades: Fogo, Terra

Ataques: Mordida 7D + 13

Cauda 8D + 13

Perícias: Ataques (Mordida 80%, Cauda 80%), Camuflagem 60%, Escutar 65%, Esquiva 50%, Furtividade 55%, Sobrevivência 70%, Rastreio 70%

Ataques Especiais:

Hálito de Fogo – o Boitatá pode emitir um hálito de fogo em forma de cone a até 15 metros de distância causando 10D de dano de fogo. Pode ser usado a cada 1d6 rodadas.

Veneno Flamejante – O Boitatá pode inocular o veneno flamejante em seus alvos, causando 8D de dano. As chamas consomem internamente, o que implica na perda de 2d6 Pontos de Magia ou Pontos de Fé e redutor de -15% nas ações por 2d6 rodadas. Pode ser usado a cada 2d6 rodadas.

Escamas de fogo – O Boitatá causa dano por contato devido às chamas de suas escamas. Esse poder pode ser ativado sempre que a criatura desejar, incendiando qualquer coisa que a ameace sem causar danos ao meio ambiente. Qualquer um que se aproxime a até dois metros do Boitatá ou o ataque corpo a corpo recebe dano de 2D.

 

Ancião

Maior que 500 anos

Atributos:

Força 60,  Destreza 20, Agilidade 25, Constituição 50, Inteligência 8, Carisma 5, Percepção 30, Força de Vontade 30

Pontos de Vida: 140       Índice de Proteção: 9    Imunidades: Animal, Fogo, Terra

Ataques: Mordida 9D + 13

Cauda 10D + 13

Perícias: Ataques (Mordida 100%, Cauda 90%), Camuflagem 80%, Escutar 90%, Esquiva 50%, Furtividade 80%, Sobrevivência 90%, Rastreio 100%

Ataques Especiais:

Hálito de Fogo – o Boitatá pode emitir um hálito de fogo em forma de cone a até 15 metros de distância causando 15D de dano de fogo. Pode ser usado a cada 1d6 rodadas.

Veneno Flamejante – O Boitatá pode inocular o veneno flamejante em seus alvos, causando 15D de dano. As chamas consomem internamente, o que implica na perda de 2d6 Pontos de Magia ou Pontos de Fé e redutor de -25% nas ações por 2d6 rodadas. Pode ser usado a cada 2d6 rodadas.

Escamas de fogo – O Boitatá causa dano por contato devido às chamas de suas escamas. Esse poder pode ser ativado sempre que a criatura desejar, incendiando qualquer coisa que a ameace sem causar danos ao meio ambiente. Qualquer um que se aproxime a até três metros do Boitatá ou o ataque corpo a corpo recebe dano de 3D.

Anúncios

Círculo de Fogo

Publicado: 15/08/2013 em Filmes, Resenhas
Tags:

circulo de fogoEu sou da geração que assistiu Jaspion quando foi lançado pela TV Manchete no Brasil, portanto, monstros e robôs gigantes fazem parte do imaginário da minha infância. Era inevitável pensar nos heróis pilotando homens metálicos gigantescos para proteger cidades enquanto as destruíam totalmente. Círculo de Fogo acaba sendo, portanto, uma tentação para qualquer fã.

A proposta aqui é mesma da ameaça da Terra. Monstros enormes chamados Kaiju surgem de uma fenda no pacífico para ameaçar a Humanidade. Os governos tentam detê-los, porém não conseguem uma reposta adequada a não ser pelos robôs gigantes, o Jaegers. Cada um desses instrumentos de guerra deve ser pilotado por duas pessoas conectadas mentalmente para o bom e velho combate. Assim as batalhas prosseguem, todas muito melhores do que qualquer episódio de Jaspion e ainda com o propósito real de evitar lutar nas cidades e evitar os grandes prejuízos.

O filme é muito divertido. Tem um final previsível dos filmes mais heroicos dos norte-americanos, porém não deixa de ser uma grande pedida para qualquer fã de animes ou de ficção científica. Poucos Jaegers são mostrados, infelizmente, mas as lutas deles são todas interessantes. É uma pena que não se dê mais destaque aos robôs, pois, para dizer a verdade, os personagens humanos não são lá tão interessantes.

capa domini urbsNovo lançamento para Sistema Daemon

O suplemento mais completo para se jogar comAnjos nos cenários de Trevas, Arkanun e Anjos: Cidade de Prata.

A Morada de Deus

Domini Urbs é o mais completo suplemento de RPG já lançado no Brasil para se jogar com personagens anjos ou seguidores das religiões de Demiurgo, o senhor da Cidade de Prata. Nesse livro com farto material para o Mestre de Jogo e o Jogador, você encontrará:

– A casta de anjos Apocriphae, os representantes da ira divina

– Regras para se jogar com Nephalim, os filhos proibidos dos anjos com as humanas, fadados a relembrar as memórias de suas encarnações

– As Palavras, poderes especiais recebidos pelos anjos. Jogue com Anjos da Guerra, Anjos da Paz e Anjos da Morte,

– As Vinte e Duas Ordens Arcanas Celestiais, sociedades que tramam na política da Cidade de Prata

– Novos poderes, aprimoramentos, kits de personagens

COMPRE AQUI (Loja Perse para ebook ou impressão sob demanda) OU EM AMAZOM.COM.BR

300-Queen-Gorgo-poster 

É, para quem gostou do filme 300, uma boa notícia! Sai ano que vem mesmo a continuação. A data está marcada para 07 de março de 2014. Dessa vez a história não é centrada nos espartanos, mas nas batalhas navais dos atenienses contra os persas. É uma história que promete, assim como no primeiro filme.

 

 

 

 

 

Recomendo ao pessoal ir se preparando com o seguinte:

 

recomenda4

A Batalha de Salamina por Barry Strauss: Excelente livro sobre essas batalhas navais importantíssimas nas guerras dos gregos contra os persas.

 

 

 

 

exibe_thumbFogo Persa por Tom Holland: Um compacto sobre as grandes desavenças entre gregos e persas.

 

 

 

 

 

 

 
imagemPortões de Fogo por Steven Pressfield: Um dos melhores romances históricos que já li. Esse detalha muito bem a luta dos 300.

 

 

 

 

 
5171nsa5+3L._AA258_PIkin4,BottomRight,-35,22_AA280_SH20_OU32_Sangue e Glória: Cabe aqui uma propaganda básica do meu romance histórico! O livro tem vendido bem para Kindle! Compre para Kindle aqui ou em impressão sob demanda aqui.

 

 

 

 

Estou lançando livro novo hoje na Amazon.com.br.
Esse é para quem gosta de romances históricos, histórias de guerra, cavalaria ou sobre os templários. História boa por um precinho camarada!

ImagemTemplários: A Batalha de Hattin

O Reino de Jerusalém aprofunda-se no caos da sucessão real. Indiferentes às ameaças a volta, os nobres batalham pelo poder do governo na terra que seria sua salvação, mas pode acabar sendo sua derrota mais profunda. Cavaleiros se reúnem para batalhas brandindo espadas para uma guerra vindoura, seja ela contra seus irmãos de fé ou inimigos religiosos.

Templários: A Batalha de Hattin narra alguns dos principais e mais decisivos anos das cruzadas. Em meio aos tumultos e à ameaça dentro e fora do reino, cavaleiros, damas e plebeus tentam sobreviver. O templário Guillaume de Croix Bleue atravessa o caos mais preocupado com o tumulto do passado e as rédeas que dominam sua própria violência. O cavaleiro germânico Karsten leva seus amigos para uma empreitada para espiar seus pecados e encontrar esperança para as próprias fraquezas. Melisende e Laure de Sable D’Or avaliam suas posições em uma estrutura de poder que erode lentamente diante de seus olhos. Juntos esses personagens presenciarão uma das maiores ameaça ao reinado cristão na Terra Santa.

Esse não é um livro de heróis e religião. É um romance sobre guerra e sangue, onde seres imperfeitos precisam batalhar contra inimigos externos e contra si mesmo para sobreviverem na aridez do deserto.

COMPRE O LIVRO AQUI.

ADMIRAVEL_MUNDO_NOVO_1244513534PÉ uma obra-prima! Sim, critiquem e critiquem! Pode ter gente que fale mal dessa obra, mas para mim são blasfemadores! 😛

Admirável Mundo Novo é literatura de verdade. Não é um best-seller que vende mundo e anos depois ninguém nunca mais ouvirá falar! Não! Ele, na verdade, é um desses clássicos e um clássico que previu o futuro, resistiu ao tempo para testemunhar o quanto sua profecia estava correta.

Nesse livro, a Terra se transformou em um mundo onde as crianças são geradas em laboratório e criadas em castas, cada uma com uma função. Desde pequenas, elas são educadas e recebem inúmeras mensagens subliminares para desenvolverem pensamentos padrões e se sentirem felizes com seu status.

A propaganda, a sede de consumo, a manipulação mental e a pressão da sociedade, assim como o desejo pelo novo e a estupidez das idéias da moda estão todas presentes no livro. É uma leitura para se degustar e amar, para se retirar informações e para sair um pouco do padrão de consumo literário que temos hoje em dia. Aqui não existe uma receita de bolo. Há uma grande diferença entre receita de bolo e estilo. Esse livro tem estilo.

A primeira vez que vi o livro o Terceiro Segredo, eu logo o peguei decidido a comprar. Então, de repente, vi a indicação que o livro era recomendado a quem gostava do Código da Vinci. Deixei de lado no exato momento…

Não, eu pensei… Outro livro com um segredo devastador que vai ameaçar os alicerces do cristianismo. Mais um livro que trata o cristianismo como se fosse apenas o catolicismo. Outro livro com um enredo de mistérios e com um final que nem é tão chocante assim para quem dá a mínima para picuinhas religiosas.

Acabou que achei o livro bem barato em um sebo bem depois da publicação. Comprei e a leitura me agradou. O Terceiro Segredo trata basicamente de três temas: o celibato dos padres, a política da Igreja Católica e o terceiro segredo de Fátima. É, é aquele segredo dos meninos camponeses portugueses. Tem um filme velho sobre ele que vi quando criança que não sai da minha memória.

Os primeiros dois temas são muito bem tratados. O celibato é discutido e eu concordo com a versão do livro. A parte da política é ótima. Fala da corrupção, da politicagem, dos jogos, das tramas e das eleições papais de um modo impressionante. Esse contexto dos jogos e da corrupção, as críticas ao bordão “o Espírito Santo ajuda a escolher o novo papa” são boas. O autor não precisa ser maniqueísta, transformando todo mundo das religiões tradicionais em vilões como ficou comum nesse ramo literário. Mostra lado bom e lado ruim das pessoas. Deixa coisas implícitas. É realmente bastante agradável. Os personagens são ótimos, assim como as citações.

O grande escorregão vem na revelação do terceiro segredo. Aí fica chato, sem que se entenda o motivo de aquilo ser realmente o clímax. É praticamente o que muitos católicos que eu conheço já pensam e nem eles (nem minha avó!) acaram impressionante quando eu comentei. Aí o livro fica chato, perde o impulso, até o finalzinho.

A nota desse livro é 3 só por causa desse segredo que acabou com a graça de tão sem graça e sem novidade que é. O restante o livro é ótimo. Muito bem escrito, sem usar uma fórmula tradicional e padrão roteirizada, sem mérito literário. Recomendo.